pt eng fr

É você que tem

Aquarela, Toulouse . 29 nov 2018

Quase me esqueço.

Obrigada por me colocar na parede do descaso e me forçar a admitir que não me adequo, que não posso caber no perímetro pobre e bajulador reservado a uma mulher, dentro da rotina daquele que só tem tempo para pensar em si mesmo. Que está ocupado demais para celebrar os olhares que se cruzam na grandeza da existência, então os desperdiça.

(…)

Em meu tempo de dor, achava que as partidas ocorriam por minhas falhas. Mal sabia eu que elas faziam um inventário dos meus acertos, para que um dia eu tomasse conhecimento da minha incrível força em gritar: “Não vim para ter menos, não posso ser menos. Meu espírito é imenso”. Gritar, eu digo, do lugar mais remoto de mim mesma e ensurdecer uma metrópole. Um dia, eu despertaria de um longo sono, olharia no espelho e compreenderia que paisagem vasta eu sou.

– Maria Gabriela Saldanha

 

Tarcila Alvarenga
Tarcila Alvarenga
Comentários

Deixe seu comentário