pt eng fr

#drawthisinyourstyle

Aquarela . 02 set 2018

Primeira vez participando de um #drawthisinyourstyle a partir de um desenho da maravilhosa Juliana Rabelo. Como tenho estado distante de projetos ao longo de todo esse processo de adaptação em um novo país – cuja língua, diga-se de passagem, eu ainda não domino – achei que valeria o registro de um pequeno rabisco aquarelado por aqui. Foi muito bacana esse desafio! Espero participar mais vezes. Abaixo,  o desenho original da Juliana, para a gente poder comparar:

Tarcila Alvarenga
Tarcila Alvarenga
Comentários

Deixe seu comentário

Toulouse

Toulouse . 19 ago 2018

A primeira vez que eu vim para Toulouse foi em 2015. Parei em Toulouse, também conhecida como a “Cidade Rosa” da França, completamente por acaso. E foi nessa cidadezinha que eu tive algumas das melhores, quiçá AS melhores, experiências da minha vida. A Felicidade parece que só é possível se for assim, por acaso.

Eu não sabia uma palavra de francês (além de “sutiã” e “abajour”) e tinha intenção de ficar no máximo por 3 meses. Mas graças à falta de planejamento e espontaneidade, própria daqueles tempos, acabei ficando por 6 meses na cidade, trocando trabalho por moradia numa pousada de ingleses. Não aprendi uma vírgula de francês, mas o meu francês melhorou à beça. A pousada se chamava La Maison e ficava entre a última estação de metrô da linha vermelha (Basso Cambo) e uma comunidade / bairro periférico chamado Saint Simon.

Pelos próximos 2 anos que seguiram desta experiência eu muito sonharia em retornar para Toulouse e, com sorte, morar em Saint Simon – na minha própria casinha, quiçá. E foi neste pequeno sonho que eu me ative ao longo de todas as dificuldades que se sucederam à minha volta ao Rio de Janeiro até o meu retorno à Ville Rose.

Hoje meus sonhos estão um pouco mudados, mais aperfeiçoados (hope so) e, apesar de Saint Simon continuar simpática como antes, para mim basta estar longe da violência, da poluição e da pressa das cidades grandes. Dessa vez eu voltei para ficar, e esse sentimento me toma como uma verdade. Pode ser que eu até me mude de Toulouse, que eu explore novos horizontes mais a frente, mas eu sinto que vou levar um bom tempo para voltar para o Rio. E se eu voltar, vai ser de visita.

Tarcila Alvarenga
Tarcila Alvarenga
Comentários

Deixe seu comentário

Au revoir Brasil!

Outros . 01 ago 2018

Eu demorei um bocado para contar que estou partindo do país. Vim passar os últimos dois meses em Belém do Pará, mas a verdade é que esses estes últimos meses não foram nada além de uma enorme, festiva e amorosa despedida.

Foi com muita alegria que eu recebi a notícia de que havia sido aceita em diferentes mestrados para os quais eu apliquei no início do ano, sendo que eu só fiquei sabendo da melhor das surpresas quando já estava aqui em Belém: voltarei para Toulouse, minha cidade preferida no mundo. Fui aceita como mestranda do curso CARMA (Master Création Artistique, Recherche et pratique du Monde de l’Art) na Université Jean Jaurès e estive tão contente e anestesiada nessas últimas semanas que resolvi, por algum tempo, guardar a boa nova para mim. Mas é chegada a hora de partir, finalmente. Hoje volto para o Rio de Janeiro e farei um corre até SP para me despedir da família e dos amigos. Dia 14 de agosto estarei desembarcando na Ville Rose. ♥

Essa admissão só foi possível graças ao apoio de pessoas queridas que me ajudaram com a tradução de documentos, trâmite de dinheiro, dicas de material para estudar, de metodologia para escrever o pré-projeto, entre tantas outras coisas mais. Pessoas diversas estiveram envolvidas nesse processo de realizar o sonho de uma pessoa só – e, agora, eu estou mais do que disposta a compartilhar todo o know-how que adquiri sobre essas aplicações para a França com quem tiver interesse (é só me contactar por e-mail)!

No mais, à bientôt! Nos vemos em Toulouse.

Tarcila Alvarenga
Tarcila Alvarenga
Comentários

Deixe seu comentário

Um vilarejo

Aquarela . 02 jul 2018

Já faz muito tempo que comecei a sonhar à morar num vilarejo. E isso deve ter qualquer coisa de sintomático, porque boa parte de quem cresce na cidade grande, como eu, adora sonhar com uma casa no campo. Mas a verdade é que, apesar de já ter passado alguns meses no campo, eu sei que eventualmente sentiria necessidades de uma série de coisas (contatos, gráficas, eventos e oportunidades) que só existem na cidade. Ao mesmo tempo é impossível não admitir que a cidade grande com seus prédios enormes e asfaltos cinzentos me exaure e adoece.

Tarcila Alvarenga
Tarcila Alvarenga
Comentários

Deixe seu comentário

1 2 3 4 6